MULHERES CAMPONESAS: trabalho produtivo e engajamentos políticos

Sinopse:

A participação efetiva das mulheres no processo produtivo, desde o início da construção humana do saber e da prática vinculada à agricultura, sempre foi determinante para a garantia da continuidade dos seres humanos tanto na produção da alimentação, como na preservação ambiental, na garantia de renda-comercialização, ou seja, na reprodução da vida. Porém, essa participação ao longo da história foi secundarizada diante da organização social capitalista em que vivemos, que se pauta por uma lógica social enviesada pelos valores que orientam as relações de gênero. Essa lógica pode ser então qualificada como machista e patriarcal, visto que ela redimensiona a ação dos homens e apaga a ação das mulheres por reduzir o reconhecimento social ao trabalho doméstico e não produtivo. Por isso, a grande importância que atribuímos a mais este tomo, embora, por questões contratuais e de direitos autorais, ele não esteja incluído na bela obra da História Social do Campesinato, mas corresponda ao mesmo projeto político que deu origem à constituição dessa coleção. Apresentamos então, mesmo que como produção autônoma, este volume dedicado ao estudo de trajetórias das mulheres camponesas no Brasil.